rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

terça-feira, maio 31, 2011

Tamanho não é qualidade... o eterno dilema!

«Meus amigos vocês bem sabem que o ser grande, pode não querer dizer nada. Grande é a nossa dívida e deu no que deu. Pequeno é o Messi e o Coentrão, e são excepcionais. Quando tomar posse, no próximo governo, o mote será este: há que cortar, cortar, para que o Estado seja mais leve, mais pequeno, mas mais ágil, mais eficaz...»

quinta-feira, maio 26, 2011

Cidade Maravilhosa!

S. João, o ADN de uma cidade...












Os meninos do dragão












Rosa Mota, a menina da Foz.





Cidade maravilhosa!

Um manto de orgulho a cobre;

Cidade invicta, famosa,

Florescente, radiosa

Cidade azul, sempre nobre.


Cidade maravilhosa,

Beija o Douro, terno amante;

No marquês passa, vaidosa,

Nas Antas, vitoriosa,

Eterna!, qual diamante!


Cidade maravilhosa!

Apaixonante princesa

De sangue azul, bem ciosa

Da linhagem majestosa

Tem casta!, tem realeza!


Cidade maravilhosa

No S. João enlouquece;

Empolgante, esplendorosa

Olhar vestido de Rosa

Amá-la... sempre apetece!


Cidade maravilhosa!

Cidade-vinho-do-Porto!

Velho sabor, mais gostosa,

Harpa tão melodiosa

Bandolim que dá conforto.



Cidade maravilhosa

Na Foz, céu azul anil

Torna ainda mais formosa

A cidade gloriosa

Que Deus fez, de encantos mil!

terça-feira, maio 24, 2011

QUADRAS EM HONRA DO PRESIDENTE TOMÁS(1)

Tens de poupar mais, sua despesista! O milho já desapareceu da despensa?!













Poupar? Nós?!

Que poupe esse frei tomás
que faz discursos de treta:

dá mama aos marajás

aos pobres... nem a chupeta!



Neste país delirante

Políticos desleais

A corrupção é constante

Há mordomias demais!


Ridículo presidente

Ao povo roga poupança

Não vê o que é evidente:

Que poupe quem enche a pança!


O Estado vai definhando

Mas há panças bem obesas:

VINTE VAMPIROS sugando

O sangue de MIL EMPRESAS!


É preciso poupar, é,

Acabar com as loucuras;

Presidente, não o zé,

Mas quem mama sinecuras...


Já satura essa cantiga

Mande poupar os barões

Gente que é tão sua amiga

Na banca roubou milhões!


Gang do colarinho branco

Que poupe, não roube mais!

Presidente, vou ser franco:

São eles, da crise os pais!


Dá-lhes louvores e medalhas

Põe-lhes comendas ao peito

Foram eles, os canalhas

Que roubaram tudo a eito!



(1) Leia-se: Frei Tomás

Marcadores: , ,

Os pais da crise...







Será que o resultado desta vampirocracia é a mendicidade que vai grassando cada vez mais?

Quando os próprios governantes recorrem à mendicidade, não tendo outro recurso para a sobrevivência, que dizer do país? Não culpemos os pobres mendigos, coitados, eles não são a causa mas a consequência desta vampirocracia aguda que dá cabo do sangue económico, e causa anemia financeira no tecido empresarial. Um cancro terminal atingiu o país, de norte a sul.

Contudo, também há quem se interrogue se não haverá mendigos que são vampiros...
A pergunta, tem o seu cabimento
...Há casos concretos que são de flagrante e escandalosa pertinência!



Em tempos, Miguel Cadilhe falou na metáfora do «pai do monstro»...
Era o famoso monstro despesista. O clientelismo cavaquista no seu expoente máximo, fruto das vacas gordas emergentes... a proliferação de tachos no auge do cavaquismo excedeu tudo o que a mais elementar racionalidade económica imaginaria... Deu no que deu. O próprio Cavaco certamente já esqueceu tudo... ele que atribui a culpa de tudo aos «políticos»...
Agora, há «VINTE MAGNÍFICOS» que auferem remunerações principescas rodando em administrações de grandes empresas (algumas públicas, o que é mais grave...), saltitando daqui para ali. Pergunta-se como é que estas sumidades poderão trabalhar com meia centena de cargos por cada qual?! Será que financiam os partidos?!
Nos privados ainda é perceptível (ainda que pouco ético) mas nas empresas públicas torna-se degradante. É o capitalismo selvagem e parasitário no seu expoente. O neoliberalismo com sabor selvagem e aroma cleptocrático...

Este vinte eucaliptos sugam tudo à sua volta, por isso é que há tempo desemprego. Não há recursos para pagar aos trabalhadores pois estes empregos de luxo vampirizam as empresas e o próprio Estado.
Algum dos políticos em campanha eleitoral fala nisso?!

Votarei em quem tiver coragem de falar nisto e propuser uma solução!

Marcadores:

segunda-feira, maio 23, 2011

Os motores aquecem...

PP: Meu caro amigo, em tempo de vacas magras, há que optar pelo peixe. Esse, dá para matar a fome a muitas famílias. Quando eu for primeiro-ministro venho cá comprar para distribuír pelo povo... Eu sou a porta aberta ao futuro: mais justo, mais são, mais tolerante.

Resposta do pescador: Mais importante do que dar peixe é ensinar a pescar. Eu posso fazê-lo.
Quero um lugar de ministro. Pode ser no ministério do mar...












Aí vai a campanha eleitoral no seu arranque. O CDS está no centro da polémica. Está a ganhar terreno ao PSD e este sente-se isolado, ensanduichado, emparedado, não consegue crescer.
Portas, arguto, sagaz, um autêmtico «rato de área» (estilo Falcão do F. C. do Porto) está, para surpresa geral, a subir nas sondagens.
E porquê?!
Portas parece ser o único com lugar cativo no próximo governo, e foi mais longe, afirmando (com certa dose de arrogância) que quer ser primeiro-ministro.
Sim, de facto todo o líder partidário candidata-se a primeiro-ministro, há que ser realista. Normalmente olham para as sondagens e nem todos se atrevem a dizer isso, mas Portas mandou às urtigas as sondagens, limpou o rabo às estatísticas, e assume-se como potencial primeiro-ministro.
Está no seu direito. PSD e PS num ombro-a-ombro impressionante estão a ver no que isto vai dar. Portas está devorando o PSD, pouco a pouco, pé ante pé.
Passos Coelho, não querendo fazer o chamado trabalho sujo, mandou os ajudantes de campo para o combate: Fernando Nogueira e Menezes lá foram para os cornos do touro... cumprindo a estratégia...
Portas faz o mesmo: agora é este (Pires de Lima...) que se assume como guardião do chefe! E fala grosso: ou Passos Coelho põe ordem nas tropas ou... haverá briga forte!
Passos Coelho está com um grave dilema: se ataca Portas corre o risco de não ter nenhuma hipótese de ter parceiro de coligação mesmo que vença Sócrates, mas, pelo contrário, se nao o ataca, vê este cada vez mais canibalizando as hostes sociais-democratas, pulando as frontreiras e crescendo que nem viagra eleitoralista...
É o fim da picada!!!
Cavaco, como se impõe, não dá cavaco... e fica perplexo com o rumo que isto está tomando...
Sócrates, sorrindo com ar triunfalista, diz que vai ser o primeiro ministro e aceita uma ampla coligação, é tolerante, não guarda rancores, tem sentido de Estado. Já está a ver Portas a seu lado na cadeira do poder... e Passos Coelho amaldiçoando o «traidor», o catavento com quem se quis coligar...
Lá no céu, Jesus Cristo olha para Portugal e não sabe como concertar tudo isto...

Marcadores:

domingo, maio 22, 2011

Uma praga de gafanhotos... São VINTE!

Eles andam por aí. Sanguessugas, vampiros, chupa-tachos.

Leia e medite. AQUI.

O pais de tanga. Estes passam a vida a curtir a franga...

Já estão de olhar especado, apetite devorador, espumando de ansiedade a contemplar os milhões que a «Troika» vai trazer. E vão comer tudo e... não vai ficar nada! Os paraisos fiscais serão o destino fatal, se não houver controlo, supervisão, será o inferno de Portugal!

sexta-feira, maio 20, 2011

BATEMOS NO FUNDO!

Uma das causas do estado a que chegámos tem a ver com a cultura dominante. Este país ainda não erradicou o sentimento de subserviência e o medo de dizer mal, tão característicos do ante-25 de Abril. Quem disser mal, quem criticar, leva!
Criticar, é quase um pecado mortal. Há cada vez mais gente a exclamar em surdina: em política não me meto, só dá prejuízos e chatices... há gente vingativa que...
Mesmo quando a realidade entra pelos olhos dentro, quando se está mesmo a ver o que está mal, a corrupção que grassa cada vez mais, a impunidade de alguns intocáveis ser mantida por quem deveria suster-lhes o passo e não o faz (por medo, calculismo, por também lucrar com a promiscuidade...), há que ter tento na língua, senão...
«O medo guarda a vinha» é um provérbio cada vez mais actual. Há medo de dizer a verdade. Há reverência cada vez maior por certos «capones» da nossa praça.
Como é possível andarem algumas firmas a ganharem milhões à custa de facturações falsas, ludibriando o fisco de forma sistemática, e só ao fim de muitos anos é que se descobre?!
Há medo, há altos protecionismos, o mau exemplo vem de cima. São expedientes deste tipo que alimentam partidos e campanhas eleitorais, ninguém duvide.
Ouvem-se os papagaios eleitoralistas, debitam pormenores sem grande relevância, tiram um benefício fiscal aqui, dão outro ali, tiram um imposto num lado e fazem aumentar outro.



MAS NINGUÉM FALA DE CORRUPÇÃO!!!
Tudo farinha do mesmo saco. Andam todos ao mesmo. A choldra continua. Há tempos a dra Maria José Morgado dizia que o maior imposto que é pago no país é a corrupção!!!
Um estudo fidedigno de um conceituado economista falava em cerca de 20 por cento do PIB como sendo o volume de negócios da chamada economia paralela.

O barco nacional está esburacado e enquanto não for calafetado continua tudo na mesma. Vem aí dinheiro da «Troika» mas vai fugir para paraísos fiscais com a maior das facilidades. O país , se continuar assim, vai ficar ainda pior. Há que travar esta sangria, o caudal de corrupções, o clima de impunidade que alastra e dá cabo de toda a economia. Não me sinto à esquerda nem à direita. Estou acima deste lodaçal. Estou a leste deste inferno... muitas milhas...

O povo, lá vai aceitando este clima de abusos e de reverências constantes aos abusadores. Sempre louvando os corruptos, curvado e de chapéu na mãos aos que detêm os cordelinhos.





O POVO É O CULPADO!


Pró fundo fomos descendo

Sempre a caír, a caír...

Alguns, tudo comendo

Nós, sem tugir nem mugir!



«Nao se deve dizer mal»

É sabido, é voz corrente

É um «pecado mortal»

«E feio... é maledicente»!

«O povo deve amochar

Andar de bico calado

É pior se refilar

Vai ser marginalizado...»






«Quem manda sabe o que faz!»

«E só quer o nosso bem!»

«Não refiles, ó rapaz!»

«É melhor dizer amén!»



As causas profundas desta derrocada onde estão? Por que não se discutem abertamente?!
Será que também é pecado discuti-las?! Ver aqui...
A ausência de medidas dissuasoras e repressivas no tocante à corrupção é, na minha modesta opinião o grande calcanhar de Aquiles do país. O despesismo excessivo existe não só por mera negligência ou por má gestão, mas, a contrario sensu, por gestão danosa destinada a arranjar fundos para: partidos, clubes, fundações, e até alguns barões... financiadores de campanhas.




Portugal está amordaçado. Os jornais pouco criticam, lá aparece um ou outro Marinho e Pinto, mas é uma gota de água no oceano do servilismo e da adulação. As TV's metem dó. ALIENAÇÃO DOENTIA! A mentalidade não muda. O povo continua macambúzio, sedado pelos narcóticos habituais: bola, toneladas de bola, resignação, fatalismo, fado e fé cega nas instituições...instituições que, salvo raras excepções, estão mais sujas que pau de galinheiro...

Os comentadores e o chamado grande público começam a penalizar a campanha que não vai ao cerne das questões. Só banalidades, e não se vê empenho em acabar com o cancro da corrupção que é o grande mal desta caricatura democrática. Ver aqui o Público.
Os reflexos da intervençao do FMI na Coreia do Sul foram em certa medida positivos (VER AQUI) muito embora as desigualdades crescessem.

Esperemos que cá não aconteça isso e haja um combate sério às condições geradoras de injustiça social (corrupção e similares...).


Nós por cá temos um povo crédulo e acrítico mais virado para bater palmas do que para esgrimir argumentos; vai indo por aí...EU NÃO VOU POR AÍ!

Até quando?! Até quando alguém disser( e a grande maioria da população acordar) que «o rei vai nu»(leia-se: o regime apodreceu!).

Marcadores:

quinta-feira, maio 19, 2011

F. C. PORTO, justo vencedor!

Ao vencer por 1-0 o Braga (goto espectacular de Falcão) o F.C. Porto sagrou-se vencedor da LigaEuropa (2010-2011).
Jogo calculista, onde as defesas se sobrepuseram normalmente aos avançados, é justo enaltecer
o mérito portista pois foi a melhor equipa sobre o terreno e a que mais tentou a vitória.
Posicionando-se nas costas dos defesas, o «rato-Falcão» não perdoou, mais uma vez. Sempre atento, sempre em jogo, foi eleito o melhor em campo e mereceu-o, sem dúvidas.
As tácticas foram prudentes e cautelosas. O espírito de equipa sobrepôs-se aos rasgos individuais. Mérito para os dois jovens treinadores também. Não se podem fazer omoletas sem ovos, aplicar-se-ia a Domingos Paciência, com um banco menos talentoso que o banco de André Vilas Boas.
O público português deu mostras de são desportivismo e coloriu de azul e vermelho as ruas de Dublin. No dia em que a rainha de Inglaterra esteve na Irlanda a bola foi rainha, mais uma vez, e até com maior esplendor... Caso para exclamar: «GOD SAVE SOCCER!»

terça-feira, maio 17, 2011

Assédio Sexual ou conspiração?!

Ainda está bem presente o que sucedeu ao líder do WikiLeaks que foi vítima de uma tramoia de indole sexual para que fosse extraditado para a Suécia. Diziam duas mulherres (em simultâneo, quinze dias depois dos alegados actos de não utilização de preservativo numa relação sexual consentida...) que ele cometera um abuso. Isso deu azo a uma situação gravosa que percorreu os órgãos mediáticos mundiais. Ainda está a contas com ela...

Agora suspeita-se de tramóia. um apoiante de Sarkozy, ainda antes de Strauss Khan ter sido abordado pela polícia, já divulgava o facto no Twitter... muito estranho...

Quem é influente sujeita-se às consequencias. Este é o crime da moda... A presunção de inocência deve manter-se, e a teoria da conspiração ganha novos dados...
Aproveitando a boleia já apareceu também uma escritora (ver aqui...) dizendo que tempos atrás (uma década...) fora vítima de assédio idêntico... Protagonismo, obsessão, exibicionismo?!
A escritora é loura, a agora alegada vítima parece que é negra e originaria de África... Será que uma portuguesa, desejosa de dar nas vistas, não surgirá ainda?! Aceitam-se apostas...
Há que aguardar para ver novos capítulos. Até lá muita reserva e prudência...

sábado, maio 14, 2011

Tempo de «Vacas Magras»...





Chegam breve, brevemente,

Nunca se viu coisa assim

Têm aspecto repelente

Terrível, assusta a gente

Metem medo... até a mim!






Meu Deus, porquê o castigo?

Todos iremos sofrer

Suportá-las não consigo

Vou esconder-me num abrigo

Deixar o tempo correr...






Sempre passei sacrifícios

A vida, nunca a gozei,

Sempre bem longe dos vícios

Vítima de maus auspícios

A vida não festejei...






E agora ouço a voz do vento

Ao de leve, levemente:

«Vem aí mais sofrimento

Mais fome, grande tormento,

Que país tão indigente!»






Elas estarão aí

Famintas, enraivecidas,

Olhando pra mim pra si,

Ferozes, daqui prali

Enxofrando nossas vidas...






Já as vejo, magricelas,

Olhos vidrados, febris,

Tende cuidado co'elas

Fechai portas e janelas

Vão infestar o país!






Vacas magras, coisa feia,

Só de ver perco a alegria

As gordas deram boleia

A alguns, de barriga cheia

Mamões... da democracia...






Agora, então, que fazer?

Não há nada que enganar

Às vacas dar de comer

Deixar os anos correr

Elas... irão engordar!!!












Marcadores:

Prémio Camões 2011 - M. A. Pina










E foi ele, o poeta do JN, o cronista da última página, que ganhou (clicar para ver). Talvez haja quem conteste, quem não lhe reconheça o mérito, contudo, no panorama nacional, não abundam os premiáveis...
Ele é independente, eleva-se acima dos partidos e das nomenklaturas, não é permeável aos corporativismos, enfim, um sniper a sério, lá em cima do telhado do JN, não pára de metralhar os
que vendem gato por lebre nesta república de ilusionistas onde o chico-espertismo assentou arraiais...





Que nunca a arma da crítica emperre, são os meus sinceros votos...





Marcadores:

quarta-feira, maio 11, 2011

Deus nos livre!!!

ORAÇÃO




Meu Deus, fazei com que os partidos se entendam, sobretudo os do «arco-do-poder»... senão... vai ser o ... «arco-da-velha!»

A continuar assim, lá irá o desejo de um governo de ampla base social de apoio, o governo de coesão nacional!

terça-feira, maio 10, 2011

«Não, não vou por aí!»





Se até o Pinto da Costa já diz que «Não, não vou por aí!», porque é que nós iremos por aí?!


José Régio autor do Cântico Negro... diz: «eu não vou por aí!»

















Eça de Queiroz diz: «a choldra continua, esta cambada para a rua!»
clicar aqui.


Eça de Queiroz, o tal que dizia que políticos e fraldas... se calhar tem carradas de razão.



Agora foi a vez de Antonio Marinho e Pinto, Bastonário da Ordem dos Advogados
evocar o tema :«Não, não vou por aí»


E não será que têm alguma razão?! A choldra continua, as fraldas não se mudam, na gamela há bácoros com fartura, o povo sempre de tanga, já não tem euros na manga...





EU NÃO VOU POR AÍ!


Um povo a água e pão


já não tem euros na manga


quem vive na corrupção
é só pompa e ostentação
toda a gente está de tanga!






Ninguém trava a roubalheira


há tanta gente a mamar


lá vai enchendo a algibeira


à custa da mamadeira


de um vampirismo sem par!








Muitos recebem presentes

também mamam por tabela

quase sempre presidentes

calam e ficam contentes

todos comem da gamela!







Alguns já nem vão votar

não querem dar o aval

não querem compactuar
com quem se anda a governar
à custa de Portugal!!!

Marcadores:

domingo, maio 08, 2011

PECAR POR OMISSÃO...

Exmº senhor Presidente da República:

Com o devido respeito, não posso deixar de lhe manifestar a minha discordância face ao continuado ocultar de situações que importaria relevar e denunciar publicamente, sob pena de poder estar a pactuar ou ser conivente com elas.
Quando repete até à exaustão a cassete «gastamos mais do que produzimos», endossando ao povo português a culpa pela falta de produtividade, pela falta de competitividade, pela espiral despesista que se abateu sobre Portugal, está a escamotear o papel danoso de alguns portugueses que bem conhece, como responsáveis maiores desta desgraça.
Era importante referi-los de vez em quando. É pena que o não faça, se calhar por uma questão de gratidão para com eles...suponho eu e muitos como eu...

Os casos da gestão danosa do BPN e do BPP são paradigmáticos. Claro que há mais portugueses de má raça, a merecerem elencar o rol dos responsáveis pela situação a que chegámos. Os Loureiros, os Godinhos, tantos outros homens-rapace, abutres da nossa economia, encostados ao poder político e dando prendas envenenadas (com objetivos inconfessáveis...) aos amigos no poder, merecem ser denunciados por si, para que o povo sinta que alguém o pode proteger dessa praga cleptocrática, pior que a dos gafanhotos do antigo Egito, é preciso que a magistratura de influência que tantas vezes apregoa, seja também a denúncia da corrupção infrene que esburaca o casco da nau lusitana.

Vossa Excelência fica-se por generalidades dúbias, por banalidades ocas, por abordagens superficiais e não vai ao cerne dos problemas.
Há descapitalizações abusivas, há fugas de capitais de forma selvagem, há apoios estatais que são autênticas galinhas de ovos de ouro para certas entidades. Parcerias público-privadas e certas fundações são sorvedouros de dinheiros públicos que não são alvo de controlo nem de fiscalização criteriosa. Este fartar vilanagem tem de acabar. O senhor é também um dos responsáveis, talvez até o responsável mor pela gestão do país. O senhor é o chefe de Estado. O governo, todos os governos, só actuam se tiverem o seu beneplácito.
Com tantos assessores e observadores __ que não devem ser meras figuras decorativas__ V. Excia tem obrigação de saber o que se passa no país melhor do que ninguém. Tem poderes para evitar certos males, tem capacidades e deveres que não usa e deveria usar.
O país agradece maior acutilância, maior empenho na denúncia, maior precisão nos diagnósticos, mais rigor nas análises. Fartos de banalidades e de futilidades andamos nós. As TV's são esse narcótico que enfastia os cidadãos atentos...
Precisamos de um PR atento, incisivo, que ajude a lancetar o tumor da corrupção, a erradicar a filoxera cleptocrática que se abateu ferozmente sobre a vinha democrática.
Como piloto da nave Portugal, não tem andado nada bem, deve mudar de rumo, corrigindo a rota decandentista, enfrentando os ventos danosos da corruptofilia, enfrentando as tempestades descapitalizadoras que só redundam em prosperidade para meia duzia de nababos (que conhece bem e de quem tem recebido provas de amizade...) e, a contrario sensu, a pauperização de todos nós!

Marcadores:

A evolução das espécies...em itália

quinta-feira, maio 05, 2011

«PORTUGAL NO CORAÇÃO»

Tânia, a alma do «Portugal no coração» prestigiado programa da RTP




Sorriso de paz, tão doce,

Olhar feliz, maroteiro,

Brilhante, é como se fosse

O altivo farol de Aveiro!



Tem alma, tem elegância,

Tem requinte no falar

Simpatia, essa fragância

Que lhe cai... mesmo a matar...


Nesse jeito ternurento

Ela tem, mesmo a preceito,

Simplicidade e talento

Num casamento perfeito!



Balsâmica criatura

Colírio pr'o nosso olhar

Um oásis de frescura

No deserto... a contrastar...


Nota: há muitos anos escrevi um livro com o título «Portugal no coração». A RTP roubou-me o título e aplicou-o neste programa. Bendito «roubo»...

Marcadores:

quarta-feira, maio 04, 2011

Epopeia dos pescadores

O vento traz lamentos desta gente
Almas peregrinando sobre o mar
Lágrimas permanentes a brotar
O fogo da saudade bem latente.


A noite à beira mar, melancolia,
Solidão recheada de epopeias
Heroísmos avulsos às mãos cheias
No ar, a mão de Deus, dia após dia...


Sortilégio do mar, sorte ou azar,
Vida e morte tão próximas, ligadas,
Por teias invisíveis, separadas,
Por caprichos do vento, vilão-mar...


Quantas viúvas choram com pesar
Quantos órfãos a noite vai ouvindo
Em pranto convulsivo explodindo
E... a noite, sem resposta p'ra lhes dar...

domingo, maio 01, 2011

lº de Maio...Agora, bem negro...




O sol de Maio não brilha para todos... alguns, políticos de «sucesso», têm muito «sol» em paraísos fiscais... o povo, esse já não tem sol que o aqueça, só nuvens negras no horizonte!




O povo já nada ordena


Apenas o ódio ferve


O voto de nada serve


Traçada já está ... a pena!



Há muito partiu Abril


Os donos... o escorraçaram...


Gozam mordomias mil


O povo sempre enganaram.



Ilusionistas, pavões,


Do povo sempre abusando


Negra verdade ocultando


De otimismo... vendilhões!



«Pão e circo», quais romanos,


Fátima, Fado e a Bola...


Agora, o povo se amola,


Pró fundo, todos rumamos!



Fortunas a bom recato,


Em paraísos fiscais;


Fizeram gato-sapato


De leis... suaves demais!



Corrupção, foi um fartar,


Quem acusasse...era preso!


O povo, sempre mais teso,


Sempre a pagar... sem bufar!



Palavras engravatadas


Criaturas bem falantes


Do povo divorciadas


Só... do voto, sempre amantes!



Maio,um povo em rebanho


Cuidado com os pastores


Alguns, são bem impostores,


De multidão... querem banho!!!



A boca cheia de povo


De esperança, nem a centelha...


É preciso um PAÍS NOVO


Esta política... É VELHA!



Nota: desabafo de quem não tendo trela partidária, não deixa de lamentar quem deixou os partidos afundarem a barca nacional, sempre com a orquestra do otimismo a tocar, a tocar, e quem recriminasse era apodado de anti-social, anti-partidos, anti-qualquer coisa...


Agora vê-se quem tinha razão. Os otimistas inveterados continuam a sorrir... mas o povo não ri, não!!!








Marcadores: