rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

sexta-feira, outubro 31, 2008

Sócrates «caixeiro viajante?»

No conceituado blog «Impressoes de um boticário de Provincia», o distinto farmacêutico, Dr Mário de Sá Peliteiro, insurge-se contra o empenhamento de Sócrates na divulgação do Magalhães!

Ora, salvo melhor opinião, eu entendo que ele ainda faz pouco na divulgação dos nossos produtos. Devia ser um «caixeiro viajante» mais eclético. Devia mandar fazer uns livrinhos bem apresentados em que aproveitaria para divulgar as nossas potencialidades, lá fora. Seriam ofertas sempre bem aceites e com proveitos inequívocos para o País.

Se eu fosse primeiro ministro daria instruções às nossas embaixadas para serem verdadeiros embaixadores das nossas potencialidades: do nosso turismo, das nossas belezas naturais, dos nossos artistas, dos nossos cientistas, dos nossos engenheiros, dos nossos arquitectos, dos nossos cineastas, dos nossos escritores, enfim, de tudo aquilo que nos faz diferentes (e por vezes melhores) do que o existente nesses países... Até o nosso turismo religioso é tão genuíno que merece ser mais acarinhado!
A Madeira, os Açores, o Algarve, as nossas praias, o nosso turismo rural, as nossas pinturas rupestres, os nossos vinhos e as iguarias gastronómicas (ovos moles de Aveiro, presunto de Chaves, cerejas de Resende, castanhas de Trás-os-Montes, doces conventuais de Vila do Conde, pescada da Póvoa, alheiras de Mirandela, etc., etc.), os nossos monumentos tão distintos, os nossos rios (aquele Douro paradisíaco com tantas potencialidades turísticas), enfim, toda a riqueza que Portugal contém e que merece ser divulgada urbi et orbi. Há que vender estas potencialidades. Há que arranjar mais «caixeiros viajantes » com qualidade.


Se Sócrates quiser fazer mais por Portugal ainda o pode (e deve) fazer. Fomentar as exportações, criar atractivos para o país, é algo de imprescindível, precisamos disso como de pão para a boca.

O presidente da República disse em campanha eleitoral uma série de coisas que não cumpriu nem sequer pode cumprir pois não são da sua competência.

Agora o primeiro ministro pode e deve enveredar por essa via. Os franceses promovem a venda de armamento em grande escala, os suecos até a música exportaram de forma auspiciosa (os Abba são exemplo paradigmático...), os egípcios e os gregos servem-se de tudo para venderem a sua monumentalidade, o seu património histórico.

Digo mais: se se vendessem alguns jogadores de futebol com talento era uma fonte de receitas muito apetecível, e com a crise que vai grassando já não há dinheiro para ir ao futebol, daí ser lógico colocar essas jóias em montras mais dignas da sua qualidade intrínseca.

E por que não «exportar» a imagem de uma Soraia Chaves, ou de uma Carla Matadinho? Dar um «empurrão» à Fátima Lopes, por que não ser o próprio primeiro ministro a fazê-lo? A moda também é um atributo digno de ter em conta no tocante a potencialidades lusitanas. Arrasta a indústria têxtil, tão carente de apoios...

O país precisa de publicidade positiva. Para compensar a negativa que é um exagero: caso Maddie, caso Casa Pia, caso do tráfico de prisioneiros clandestinos pelas Lajes, caso da corrupção no futebol, caso de doping no ciclismo...


Sócrates, o caminho é por aí! Ajude a vender mais coisas que o País agradece!
Temos tantas coisas lindas: o sol, as praias, as nossas lindas mulheres, alguns rios, algumas albufeiras, as nossas serras, o lago de Alqueva, os nossos relvados de futebol... Se for preciso eu estou disponível para dar uma ajuda!

Dia de finados? Não, nunca!

Ninguém se fina totalmente. Nós somos uma comunidade interagindo constantemente. No Além estaremos a contemplar os actos de quem deu continuidade à linha da vida . Quem parte deixa um rasto, uma memória, que servirá de estímulo, de guia espiritual, de norte para os que ficaram.
Mais do que o património material há que equacionar o património espiritual, o contributo dado para este nosso viver colectivo, para a civilização.
Ninguém se fina totalmente. Há sempre uma réstea de mensagem que ficou indelevelmente gravada, um resquício de bondade e de sabedoria que serve de alavanca para o nosso viver colectivo.
Que a palavra gratidão seja vivida e sentida por todos.

Lei de Gresham...


«Agora que o Magalhães chegou ao Brasil era altura de mandarem vir o Lula treinar a selecção nacional pois o Queiróz não está a dar conta do recado!..»


«Às vezes, meu caro Presidente, quando o senhor fala na Lei de Gresham, na moeda má que afasta a boa, para ficar ela na mó de cima, chego a pensar se não será um exercício de autocrítica da parte de V. Excelência???»

Nossa Senhora de Aveiro!


Tânia Ribas de Oliveira
Faz muitas aparições. Não na Cova da Iria... mas no «Portugal no coração
Nossa Senhora de Aveiro
Portadora de alegria
Sorriso no corpo inteiro
Porte simples, verdadeiro,
Voz que nos acaricia...
Dela tive aparição
Todo o Portugal a vê;
E tem o raro condão
De ser alma e coração
De um programa da TV!
Nossa Senhora de Aveiro
Todo o País a conhece;
Se tem poder milagreiro
Não sei. Pedestal cimeiro
Isso sim, sei que merece!

O Estatuto dos Açores daqui a alguns anos!...

O professor Cavaco Silva estranha, mas ainda não sabe do resto...

Os Açores serão uma reserva da humanidade, quando tudo se desintegrar, quando vier o tal «crash» que todos aguardamos...

Que interessa então estar-se aqui a fazer uma gritaria medonha com uma coisa de lana caprina?
O presidente pode dissolver a Assembleia regional. Deve ouvir o governo e a própria assembleia. Isso é uma facada nos seus poderes? Ora bolas, senhor presidente!

E gabava-se o senhor de ser uma pessoa capaz de saber ouvir, naquela campanha eleitoral em que nos impingiu tudo e mais alguma coisa a ponto de se pensar que o cargo era uma espécie de varinha de condão capaz de fazer tudo: captar investimento estrangeiro, dinamizar os mercados bolsistas, gerar boas expectativas ao turismo, à agricultura, à finança, ao proletariado, aos pobres, aos remediados, aos ricos...

Há que saber ouvir! há que estudar o futuro para dar valor ao presente!

Ora bolas senhor presidente! A continuar assim, com esses pruridos, essas esquisitices enfadonhas, lá teremos que convidar o Quim Barreiros para ocupar o trono de Belém!

Esse ao menos dá gosto ouvir!!!

Como hei-de ser feliz?!


Eu vou andando por aí... mas tudo tem limites! Para o Sporting já não posso ir pois o cargo está bem ocupado, a câmara de Lisboa está cada vez mais distante, só me resta uma solução!
Vou escrever uns artigos na «Bola», fazer umas passagens de modelos, talvez consiga um lugar na «Tertúlia Cor-de-rosa» que é de facto aquilo para que me sinto vocacionado!...

quinta-feira, outubro 30, 2008

FARTAR VILANAGEM!!!

Quando tantas barbaridades se dizem sobre os trabalhadores portugueses (que lá fora são elogiados pelos patrões), que não produzem, não são eficientes, etc., constata-se que o clima económico é degradado por alguns empresários pouco escrupulosos que retêm indevidamente IRS captado aos trabalhadores e IVA, de forma indevida, não entregue à administração fiscal.

Assim, que dizer deste país que continua a ser devorado por hienas sempre a sorrir, nos jornais, nas TV's, mas sempre a chular o erário público de forma escandalosa.

O DN de hoje dá conta deste cleptocrático artifício que nos vai depauperando a todos, lançando-se o odioso da questão para os trabalhadores, quando, de facto, eles são vítimas e não os agentes da perversidade.

Alguns deles (conhecêmo-los bem) estão constantemente a ir a Fátima e a pavonear-se nas procissões que por aí vão pululando como cogumelos em manhã chuvosa!... Deus nos livre de tanta hipocrisia!

29 anos!






Silêncio, o Fado faz anos!
Descalça vai para a fonte
Maria Lisboa, vai!
Na vida, a meio da ponte
Ninfas do Tejo, a saudai!
Vai formosa e vai segura
Sorri à vida, sem medo,
O seu manto é a cultura
Seu futuro ainda é segredo.
Cantai, ó ninfas, cantai!
Lisboa inteira te aclama
Maria Lisboa vai
De Lisboa... ser a chama!
Vinte e nove anos, talento,
O Fado Boa Gestão
Ela é já monumento
De Lisboa o coração!
O País quer libertar
Ser um farol redentor
Seu Fado vamos cantar
Fado regenerador!
No País inteiro ecoa
A sua voz triunfante
Fado Maria Lisboa
Será hino... doravante!!!

O canto do cisne!...




O abraço do desespero! «Só tu me podes salvar! Não me deixes ao desamparo!»

OS TREZE MAGNÍFICOS.

Os «Treze Magníficos» davam cartas na BA7, em S. Jacinto, Aveiro, em 1973.
O número treze foi o número usado por Eusébio em Inglaterra no campeonato do mundo e sempre foi um talismã para nós todos.
A máquina era afinada
Um colectivo sem par
Gente de guerra, fardada,
Violinos a tocar...


Em S. Jacinto brilhava
Um Lanhas, o guardião,
O Tavares arrasava
Aveirense pé-canhão.


O Lima, lá de Monção,
Voava que nem um gato,
O David, o capitão,
Driblador frio e sensato.


O Freitas lá de Vizela,
Tinha magia sem par
De Gondomar, uma estrela,
Não parava de brilhar.


Ao centro, o rouxinol,
Foi o melhor marcador,
A chutar não era mole
E de bico, era um furor!


Esta armada organizada
Comia a relva a jogar,
Em S. Jacinto brilhava
Era uma orquestra a tocar.


Aveiro com seu farol,
Não brilhava tanto eu sei!
Eram atletas de escol
Uns puro-sangue, de lei...

Um cirurgião na banca!


«Antes que o mal alastrasse limitei-lhe a extraír uns quistos. É medicina preventiva, tão somente!»
Quando tanto se fala em ausência de supervisão, em falta de autocontrolo, eis um exemplo paradigmático do que deve ser uma gestão sã e prudente. Miguel Cadilhe, no BPN, mandou executar uma auditoria externa e descobriu alguns sintomas de insanidade. De imediato, sem esperar que lá fosse a PJ ou o Banco de Portugal, fez ele a erradicação do mal, a fim de não alastrar, de não criar metásteses galopantes.
Tiro-lhe o meu chapéu! Por que é que outros, noutras circunstâncias, não o fizeram? Porque certamente tinham telhados de vidro, tinham rabos de palha e não eram exemplos a seguir nem tinham moral para o fazer!
Miguel Cadilhe, a alma sã de um corpo (banco) são!
Nota Posterior: foi hoje (2.11.2008) anunciada nacionalização deste banco para salvaguardar e garantir os direitos de todos os que nele confiaram. Afinal não era tão são como parecia. O que Cadilhe fez foi uma pequena cirurgia, agora o Estado fez uma grande cirurgia com anestesia geral! Oxalá a terapêutica anunciada tenha êxito!

Libelinhas-girassóis...







Nós somos as Libelinhas

E gostamos de dançar

Somos muito engraçadinhas

Nosso mundo é só bailar.



Nos céus, estrelas já somos,

Mais brilhantes que o sol

Como ele também nos pomos

Nossa flor é o girassol!



Nós somos as libelinhas

Girassóis sempre a rodar

No jardim, lindas florinhas

Perfume sempre no ar...



A dançar nos entendemos

Sempre leves e fresquinhas

Sorrir e cantar sabemos

Nós somos as Libelinhas!



Queremos dançar cantigo

Sai daí e vem cantar

Vem, traz também um amigo

É mais um sol a brilhar!



Nós somos as Libelinhas

E gostamos de cantar

No céu somos estrelinhas

Não paramos de brilhar!

Nosso Senhor da Paixão!


«A ETAR já está na forja e outros melhoramentos hão-de dar outro rosto a Vila do Conde para que se torne ainda mais apaixonante! A seu tempo as melhorias hão-de surgir...»
Vila do Conde, paixão
Que existe inteira no povo
Que detesta a poluição
Que espera uma solução
E que traga algo de novo!
Rio Ave vai penando
Neste leito de agonia
Poluentes carregando
Qual Cristo na cruz levando
Açoites dia após dia...
Neste calvário sem fim
O mal há que erradicar
É triste, é mau, é ruim,
Continuar tudo assim
Venha depressa uma ETAR!
A paixão que nos devora
Ao ver a terra a sofrer
Leva-nos a agir agora
Há que exigir sem demora
Um mais ágil proceder!
Proclamar «paixão!» não basta,
O que é preciso é acção;
Prometer cansa e desgasta
Um poder iconoclasta
Em permanente erosão.
Mesmo assim acreditamos
Que é possível melhorar
Com ansiedade aguardamos
E jamais desesperamos
Nossa terra há-de mudar!

O direito de resposta!


«Que hei-de dizer da horrenda criatura?! há pessoas que de tanto exigirem purgas, se tornam, elas próprias, em verdadeiros purgantes!!!»

quarta-feira, outubro 29, 2008

Pensamentos...

O que penso da líder, daquela cubana que é a ponta-de-lança desses economistas da escola de Chicago que afundaram este país até ao caos completo?! Ela é como um sino sem badalo: está lá, mas é como se não estivesse!!!
Ela não consegue levar ninguém à missa dela!!!

Subir ao topo!!!

« «Nós, caro Sócrates, subimos ao topo muito rapidamente! Este avião também subirá à luz dos princípios que estão na base da Lei de Gresham, de que fala Cavaco Silva tantas vezes?!»
«Este sobe por mérito próprio!»

Miss universo!



«Podemos orgulhar-nos do nosso trabalho, pois a candidata escolhida veste muito bem!
E... muito rápido, também! » disse o conhecido Delfim da Madeira!
Com a devida vénia ao impagável Kaferocero... sempre atento a estes fenómenos progressistas!

A eleita Miss Universo na categoria de freiras! Exemplar magnífico que vai despertar novas vocações, sem dúvidas! a Igreja aberta ao progresso, e com uma nova vertente: a estética!

terça-feira, outubro 28, 2008

Candidata com mais perfil!

Carlos do Carmo, fascinado, comentou: «Isto sim, é uma vertente nova do Fado! Criatividade é o que o Fado precisa! Com este Fado o País sairá da crise, não tenho dúvidas! Acabou a fase do Fado-resignação, entramos numa nova era: o Fado-regeneração!!!»»

Na Tribuna Vip (que não resistiu a levantar-se!) choviam comentários elogiosos: «Esta sim, não tem par!», «Esta sim, é uma sujeita com grandes predicados!», «Um Fado destes dá gosto ouvir! é o que o País inteiro precisa! Cavaco que se cuide, que ela não tarda estará em Belém!», «Ela é uma autêntica ministra do Fado!» , «A Europa inteira precisa deste Fado!», «Isto sim, é que é Património da Humanidade!»


O povo autêntico, ouvindo em silêncio, como se fora num templo, este magnífico
espectáculo que encheu como um ovo, e também encheu o coração dos presentes!


A apresentação de Maria Lisboa foi um êxito assinalável!



Manifesto da candidatura à câmara de Lisboa






Fado da boa gestão



Lisboa barca sem norte



No mar do clientelismo



Quero mudar tua sorte



Levar-te ao mar-moralismo!









Os piratas partidários



Fartos de te saquear



Acabar co's salafrários



Co'as sinecuras sem par!









Eu serei a timoneira



Mais fiel que já tiveste



Serás a barca primeira



Da borrasca... sempre a leste!









O saque terminará



Não mais venais abordagens



Nunca mais ao Deus-dará



Não mais as reles pilhagens!









O rumo será controlado



Não mais orgias, abusos,



Neste mar encapelado



Não mais desfalques confusos!



Este mar de nepotismo



De vagas tão alterosas



Este mar de caciquismo



Há-de ser... um mar de rosas!






A deriva populista



Esse chular puro e duro



Essa festa despesista



Findará!, eu vo-lo juro!









Não mais D. Juans piratas



Pagando estudos a eito



Tesouraria de gatas...



A economia sem jeito!









Lisboa, barca sem rumo,



Nesse mar de despesismo



Comigo ao leme, eu assumo,



Acaba o chicoespertismo!



Bendito quem sol espalha



Feliz quem o povo ensina



Vou ganhar esta batalha



Como ninguém imagina!!!












Nota final:Após este comício choveram os pedidos de toda a ordem. No Brasil, Lula quer que ela vá como embaixadora; do Porto querem que ela vá substituír Rui Rio; da Figueira da Foz pedem-lhe que vá lá dar uma ajuda ao marasmo reinante, o casino prontificou-se a financiar a sua campanha eleitoral e diz que não quer nada em troca; de Fátima querem-na para gerir o santuário! De Felgueiras querem-na para substituír a Fátima Felgueiras!enfim, ela declinou todos os convites e disse:



«Lisboa precisa de mim! Não recuarei!»









Lisboa, amante do Tejo!!!


Maria Lisboa, a fadista candidata a presidente da câmara de Lisboa.

Sob o lema: «Lisboa liberta da partidocracia!» ela triunfará sem dúvidas!...


MARIA LISBOA, PORTUGAL INTEIRO TE ABENÇOA!



Lisboa tu tens a sina
De ser amante do Tejo
Do jardim és a bonina
Mais graciosa que eu vejo!



Vou da Estrela à Madragoa
E ouço a Amália a cantar
Lisboa, linda Lisboa,
Gaivota sempre a voar!...



Nem um cigarro me aquece
O coração que te adora;
Lisboa, só me apetece,
Estar contigo a toda a hora!



O meu Fado és tu, Lisboa,
Do Bairro Alto ao Rossio,
Minha voz por ti ecoa
Até sinto... um arrepio!

.......................................

........................................


Minha voz por ti ecoa
Até sinto... um arrepio!!!

A Tríade!


Com a devida vénia ao blogue «WEHAVEKAOSINTHEGARDEN»
Santana olha com ar concupiscente tentando descortinar o alvo seio, ainda proeminente e digno de uma rainha do Egipto em pleno uso das suas extraordinárias capacidades de atracção (de machos, que não de votos...) e sussura com volúpia:
_Minha adorada Cleópatra, preciso de ser feliz de novo! Deixa-me ser o candidato e prometo que ninguém mais se atreverá a pensar no Congresso de Fevereiro! Senão... andarei por aí a fazer-te a vida negra!
Pacheco Pereira, mais comedido e sem tentações libidinosas, tenta aliciá-la com a voz melosa e aquele ar triste e desgraçado que nos faz ter pena...
__Imagine o que dirão de si, minha rainha Cleópatra, depois de lhe ter chamado tantos nomes feios, agora ir buscá-lo para um lugar de tanta responsabilidade?! Poderão dizer até: «isto é muito grave, é gerontofilia pura!»
Os extremos tocam-se! O crime é similar!

GEBALIS, apenas a parte visível do iceberg!...

Toda a gente fala na Gebalis por causa da investigação desencadeada pelo MP a gastos sumptuários feitos por responsáveis ao longo de um certo período. A falta de supervisão é o lei-motiv desta situação. O mau exemplo vem de cima.
Por isso não há vontade política (moral, diga-se melhor...), não há empenho em fazer autocontrolo, quanto «pior melhor», é a política da terra queimada no seu paradigma mais exemplar!

E quantas Gebalis não há por esse país fora?!

As empresas municipais deviam ser extintas sob pena de continuarem a ser sanguessugas do erário público, alfobres de clientelismo partidário (todos os partidos, entenda-se), antecâmaras da mais sofisticada corrupção política.

Mas ninguém lhes toca pois não há moralidade para falar! Estão todos os partidos envolvidos!

Vejamos:

1 - Os governos foram agora acusados pelo Tribunal de Contas de gastos desnecessários com estudos e mais estudos que objectivamente pouca utilidade têm. A única utilidade é servirem o clientelismo galopante que vai minando os alicerces da economia nacional!!!

2- Todos os partidos envolvidos nos governos (o chamado «centrão»...) têm a sua quota parte de responsabilidade neste estado de coisas.

3- Ao longo dos anos fui alertando este descalabro financeiro, esta hemorragia que vai delapidando os recursos de forma despudorada. Fui acusado de ser «caluniador» (mas nunca isso se provou!), muito embora o meritíssimo juiz me tivesse dado um elogio excessivo, não foi capaz de me absolver totalmente, dando uma no cravo e outra na ferradura! Aparecem as «linguagens excessivas» para lançar lama sobre quem tem a coragem de fazer as denúncias pedagógicas!

4- Acusa-se o português de uma taxa de produtividade baixa, olvidando-se que estes mecanismos de delapidação dos recursos públicos são de facto a verdadeira causa-mor da nossa baixa produtividade! O despesismo exorbitante é, ele próprio, o factor degenerativo da nossa salubridade económico-financeira!

Há que moralizar o Estado! Há que começar de cima! O mau exemplo vem do topo!


NOTA: A lei de Gresham só premeia os corruptos e os incompetentes que se vendem às cliques oligárquicas. É vê-los aí nas autarquias, usufruindo de mordomias sem conta, mostrando sinais exteriores de riqueza inconfundíveis, negociando à custa dos conhecimentos que o cargo proporciona (veja-se o caso da Quinta do Ambrósio em Gondomar que é paradigmático!), escondendo em off-shores os fabulosos lucros auferidos nesta parasitação do próprio Estado!

Depois, dizem que o povo é incompetente! Há que fazer uma barrela nesses antros de corrupção que vão levando o país à miséria enquanto eles se banqueteiam à mesa do orçamento!

segunda-feira, outubro 27, 2008

BARACK OBAMA, A VITÓRIA À VISTA!


Espero que a América comece a respirar um ar mais democrático, menos poluído, mais aberto ao mundo. Na recta final, espero ganhar a não ser que mais algum golpe sujo surja no arsenal dos republicanos...
Tudo se conjuga para a vitória de Barack Obama nos USA. Oxalá haja uma mudança de paradigma na governação americana pois a impopularidade existente é notória.
Como vai lidar com os latino-americanos sob a batutra de Hugo Chavez? Como vai ser a nova postura com Cuba? Como saír do atoleiro chamado Iraque? E do Afeganistão?
Como ultrapassar esta crise nos mercados financeiros?
Enfim, o mundo interroga-se e pensa que já se atingiu o fundo... pior será impossível!
Barack Obama, a força da natureza!
Luther King deixa herança
Um capital solidário
Lançou a semente-esperança
Ficou na nossa lembrança
Como agente humanitário!
Democracia sem peias
Sem preconceitos racistas
No esplendor das ideias
As labirínticas teias
De visões mais futuristas.
Barack Obama surgiu
Num cocktail polivalente
Um novo sol emergiu
Ao mundo inteiro se abriu
Solidário, refulgente.
Há tanta coisa a fazer
Tanto mal a erradicar
Será que este alvorecer
Orgia no prometer
Em zero irá redundar?!
A cautela impõe prudência
Muita calma e reflexão
O que parece evidência
Pode ser só aparência
Do «império»... a «sucessão»...

Sporting tropeça, Benfica salva-se...

Com o empate em Paços de Ferreira o Sporting voltou à mesma realidade costumeira. Houve também inegével mérito do Paços que lutou bravamente e não deixou os seus créditos por mãos alheias. Nem a substituição de Derlei (muito desgastado) por Postiga (mais motivado, mas ineficaz) trouxe alma nova aos comandados de Paulo Bento.

Quanto ao Benfica (venceu por 2 - 1 a Naval), esteve quase na iminência de morrer na praia se não fosse o instinto matador de Cardozo que continua a ser o abono de familia dos comandados de Quique Flores.

domingo, outubro 26, 2008

Rui Rio, «lelé da cuca?!»


Rouxinol, vê se me arranjas uma psicóloga lá para a câmara pois eu também estou com os índices de razoabilidade e bom senso muito aquém do esperado! sinto uma propensão marginal para a asneira assaz acentuada!
Ele diz-se contra os TGV's, contra o novo aeroporto. Ainda há bem pouco fazia pressão para que o aeroporto fosse em Alcochete e não na Ota. Agora admite até um TGVzito só para Porto_Vigo mas não lá para os sulistas e elitistas!
Todos os regionalismos bacocos são dignos de risota! ainda pensava que estava uns côvados acima dos patamares de lucidez do Camartelo Falante lá de Gaia, mas engano-me redondamente!
Keynes, o nosso bom amigo Keynes, defendia as obras públicas como estratégia de fuga à depressão económica, como alicerce de uma política desenvolvimentista que, muito embora possa não acarretar um retorno imediato, poderá, diferidamente, ter reflexos muito positivos em todo o tecido económico empresarial. Cria postos de trabalho, liberta do marasmo algumas empresas e traz também receitas para o Estado, podendo, por efeito de arrastamento, carrear para o processo produtivo contributos positivos quer a montante quer a jusante!
O governo, honra lhe seja, tem a coragem de apostar forte neste domínio, não teme a crise, não se amedronta com o adamastor que fustiga os mercados financeiros (será sazonal, acredita-se) e o senhor, contra os seus próprios princípios ideológicos, vai para o imediatismo, o curto prazo!!! Pobre miopia...
Como diria o professor Marcelo do seu arqui-amigo Balsemão (então seu patrão no jornal Expresso), estará lelé da cuca?!

Terramoto no Dragão!!!

Em verdade, em verdade vos digo: ou vos portais bem ou deixarei de ser o «Portador de Alegrias» e passarei a ser o «Portador de chicotes!»

Sim, sim, concordo que a psicologia pode ser uma mais-valia para o fragilizado plantel azul-e-branco! Estou disponível totalmente! há um défice de afectividade no seio da equipa! Procurarei, com todo o meu empenho e galhardia, atenuá-lo ou até erradicá-lo totalmente! Já estou no seio do problema!


F.C. Porto 3 LEIXÕES 2




Um amigo telefonou-me, preocupado. Mora na Rua Honório de L ima , no Porto, e não perde um jogo no Dragão . É um «doente incurável»!
Dizia que a turbulência nos mercados bolsistas tinha contagiado o futebol. «Então o Porto, aquela acção tão valiosa, começa a ser tão volátil como as outras! Perde com o Dínamo, perde com o Leixões... faz alguma coisa por nós, Rouxinol!»


Correspondendo a este apelo, vou diagnosticar as causas e receitar a terapêutica.
O Porto atravessa uma fase em que a autoestima anda pelas ruas da amargura! Os assobios têm o condão de baixar drasticamente o nível de autoconfiança e o pessimismo instalou-se. Sem uma muleta à altura, a equipa afundar-se-á no sorvedouro das emoções descontroladas. Enfim, há que dotar os jogadores de mecanismos de auto-defesa. Há que elevar a patamares mais saudáveis as sinergias afectivas, há que colocar o coeficiente de impermeabilidade psicológica no lugar que se impõe. Enfim, há que fazer uma blindagem emocional , e, por outro lado, catapultar o grau de pragmatismo ao máximo expoente! Reduzir à expressão mais simples o clima de hostilização gerador de toda esta patogénese conducente à intranquilidade!
De facto, o grau de intranquilidade é directamente proporcional à propensão marginal ao insucesso! Isto verifica-se no desporto, na escola, na profissão, na vida!
Isto é o que se precisa!
Como executar tal tarefa?!
A Psicologia ensina-nos. Scolari deu o exemplo contratando uma Psicóloga que tão bem fez ao ego dos nossos atletas. Que sugiro eu?
O recurso ao mercado externo; se é certo que o que é nacional é bom, não é menos verdade - e di-lo a sabedoria popular - que «a galinha da vizinha é melhor que a minha!»

A fogosa e experiente (muito rodada) Nereida Gallardo (ex-Psycological trainer de Ronaldo) está disponível e era a hora certa de pôr em prática todas as suas potencialidades criativas. Ela é a Psicologia no seu mais elevado expoente!
Ela tem da Psicologia a noção exacta, do profissionalismo o grau mais elevado, da afectividade o conhecimento profundo, logo, é a candidata ideal para elevar no mastro do Dragão a bandeira da autoconfiança!
Pela minha parte, como poeta em embrião, faço a minha homenagem à referida Psicóloga e não cobro nada pela minha sugestão: eu não sou mercenário, move-me apenas o amor à causa, quero ver um Portugal mais justo, mais liberto, mais feliz!!! O Dragão é Portugal!!

A PSICÓLOGA IDEAL


Nereida, ninfa do mar,
Portadora de optimismo,
Os dragões vai impregnar
De alto astral e pragmatismo!


Psicologia é a fonte
A nascente da vitória
Tem sempre no horizonte
O sol ardente da glória!


Ao mundo ela já provou
Que tem talentos a rodos...
Rodar, ela já rodou...
Tem eficácia e... bons modos!


Que mais pode desejar
O já prostrado Dragão?
O mastro há que alçapremar
Ao esplendor da erecção!


Então, firmes e erectos,
Com galhardia total
De autoestima repletos
Arrasarão Portugal!


Direi mais, estou seguro,
O doping mais verdadeiro
O Dragão, eu vos auguro,
Vai espantar o mundo inteiro!


Ela agarra o leme duro,
Com prazer e convicção
Conduz a porto seguro
A garbosa nau-Dragão!!!

A bolsa e a montanha russa!

As constantes oscilações bolsistas com subidas abruptas e descidas vertiginosas, são fenómenos atípicos e prenunciam uma «mão invisível» que procura tirar dividendos destes movimentos erráticos. A quem pode interessar isto?
A quem dispõe de somas muito elevadas e está interessado em agitar as águas turvas a fim de minar os alicerces da economia mundial. Isto pode enquadrar-se numa fenomenologia próxima do «terrorismo financeiro» visando criar fissuras no tecido económico empresarial, estilo «política de terra queimada», a fim de potenciar falências e surgir a posteriori a mesma «mão invisível» que desencadeou o fenómeno a colher os frutos...

Aquilo que Joe Berardo afirmou há tempos à SIC Notícias, em entrevista ao jornalista Crespo, é uma probabilidade muito acentuada. Dizia ele que há grupos detentores de fundos tão exorbitantes que superam em muito o PIB dos EUA e, sem obrigações específicas, limitam-se a especular em grande escala, provocando autênticos terramotos.

Certos potentados económicos de origem árabe (os petrodólares em acção), directa ou indirectamente associados ao próprio fundamentalismo islâmico, poderão estar na génese de toda esta problemática.

Respeitar os animais

Já é tempo de se respeitarem os animais e ensinar as crianças a fazê-lo. Aqui, em cima do jipe conduzido pelo Kiko, estão o «Sócrates»e o «Cavaco», dois coelhinhos que foram alimentados a biberão (por morte prematura da mãe...) e são muito amigos do «Bolinhas», que, obediente, aguarda a sua vez de passear no jipe...

Ninguém pára o «Magalhães»...

Aviso à navegação: quando o «Magalhães» chegar ao Brasil, então ninguém vai parar a gente! Vamos para o primeiro lugar no ranking, sem dúvidas! Seu Zé Sócrates preste atenção, o Brasil nunca fica atrás da Venezuela, entendeu! Trate de encomendar aí esse negócio do «Magalhães», e bote a gente no topo das prioridades!

sábado, outubro 25, 2008

Porto, cidade imperial!









No carácter tem nobreza
No coração dignidade
Ninguém pára esta princesa
O Porto, invicta cidade!


No Bolhão lança um pregão
É o povo verdadeiro
Grito de alma e coração
O orgulho de ser tripeiro!


E na Ribeira perpassa
Entre as brumas da saudade
Um Duque, cheio de graça,
Um farol na eternidade!


Camilo, na Relação,
Garrett com seu talento,
Do Porto são coração
Seu vigor e seu alento.


Na Foz, gaivota ladina,
Na espuma do mar, à tona,
A Rosa Mota, menina,
Rainha da maratona!


Nas Antas ronca o Dragão
No desporto é uma fera
Quer ser sempre campeão
Sempre à frente da Pantera!


No Palácio de Cristal
Aquele verde pulmão
Rosa Mota, imperial,
Reina sem contestação!

Jesus, salta da cruz!!!

Jesus, bem sei que não tens biblioteca nem estudáste Finanças, mas sabes o que é o «custo de oportunidade»! Sabes que com esses milhões injectados num jornal sem vida própria, sem autosuficiência, era possivel criar postos de trabalho, dar abrigo a jovens desamparados minados pelo vício, albergar idosos sem meios para uma sobrevivência condigna, auxiliar deficientes, dotar as escolas de meios para melhor se prepararem os alunos para uma sociedade cada vez mais sofisticada. Tu sabes que com esses milhões era possível dar cuidados de saúde mais capazes aos doentes crónicos, dar alimento a quem passa fome, às vezes envergonhada.

Sabes também que se cria um precedente grave: a igualdade de tratamento de todos os agentes económicos em circunstâncias similares. Se se dá a um jornal para fugir à falência, por que não a uma oficina de automóveis, a um café, a um restaurante, a uma serralharia, a uma carpintaria?!

São tudo entidades que merecem atenção! Ou o jornal é diferente e merece tratamento especial?!

Será que esse jornal é uma concubina de luxo?!

Senhor perdoai-me se a minha lucidez é pecaminosa!

Mas não resisto à tentação de poetar. Enquanto não pagar imposto por isso, continuarei, qual Aleixo do século XXI, a gritar o que me vai na alma, o que me fere a sensibilidade!



Madeira de encantos mil
D. Anacrónico faz
Injectar o metal vil
No jornal que morto jaz!


E o jornal «ressuscitou»
Lazarenta criatura,
Grande Líder bajulou
Pagando assim sinecura!


A questão que se coloca
A quem respeita o mercado:
Quem a falência provoca
Deve ser recompensado?!


Premiar a incompetência
É medida salutar?
Quando ameaçar falência
Nova injecção vai levar?!


Gestão danosa, indecente,
Deitar dinheiro ao lixo...
Jesus!, vem cá ter co'a gente
Sai daí do crucifixo!!!

Anacrónico é réu
Na delapidocracia
Há que retirar o véu
Que oculta a cleptocracia!

O FACTOTUM!!!


«Agora dou-te razão, rouxinol! eu até de treinador do Matrítimo tenho de fazer, pois o gajo não vale a ponto de um corno! Eu sinto-me uma ilha de sabedoria rodeada por um mar de ignorância!»

Premonição certeira!


«Meu caro Roux, eu não te disse, lá na Ilha deserta, que a «bolha petrolífera» estava prestes a rebentar? A OPEP coitada, mesmo baixando a produção, não consegue evitar este esvaziamento fatal!»

Eu tive um sonho!!!


«Minha querida, nós somos negros, mas posso garantir-te que na Casa Branca nunca entrou um sorriso tão imaculado como o teu!!!»

sexta-feira, outubro 24, 2008

Nós somos tão iguais!!!

In wehavekaosinthegarden.blogspot.com, com a devida vénia!

«Minha cara Dra Manuela, sinto que temos tantas afinidades que nem sei que lhe diga. Eu defendi tão acerrimamente a Regionalização e depois fui um combatente anti-regionalização: que era despesista, fonte de corrupção, tampão burocrático, sei lá que mais!...Agora, ter que a defender outra vez, é como engolir um sapo, regurgitá-lo e voltar a engoli-lo!»

«Ai meu caro Aníbal eu tenho o mesmo sentimento e a mesma náusea. Apontei a dedo o sapo durante a campanha eleitoral interna no PSD, e agora, por força de condicionalismos vários (não há mais nada disponível no mercado social-democrata...) vou ter que o engolir ! A câmara de Lisboa é um bicho de sete cabeças!»


O ex-sindicalista louco!!!

«Minha cara Ângela, eu também atravessei essa fase difícil até chegar aqui. Imagine que um tal Miguel Sousa Tavares, um moleque pretensioso, especialista no copy-paste, me chamou de «sindicalista louco»!
Claro que há certas vozes que nunca chegam ao céu!»

«Tem razão, meu caro Lula da Silva, os sindicalistas são tantas vezes desprezados pelos capangas do capital, pelos arruaceiros ao serviço da repressão, que eu própria sinto que tenho o dever de os animar e proteger. Por isso, quero levar umas garrafinhas de caipirinha tão gostosa para ofertar ao pessoal dos sindicatos. Como diria aquele português simpático, o Zeca Afonso: "O que faz falta é animar a malta!"»

Braga e Benfica em alta na Europa!

O S.C. de Braga comandado por um tal «Nazareno» continua a fazer milagres! Deu 3-O ao Portsmouth!!! Em terras de Sua Majestade nem se quer acreditar! então o tal James, o guardião mais seguro do planeta, sofreu três de uma só vez?!
Enfim, milagres que ainda acontecem...

O S.L. Benfica foi a Berlim e lá trouxe um empatezito (1-1) quando podia ter feito melhor. Quique Flores deu um tiro no pé ao tirar o dínamo da locomotiva: Katsouranis!

Mesmo a jogar pouco ele consegue ser o mais polivalente e o mais eficaz jogador encarnado. Ao saír, abriu-se um «alçapão» que poderia ter dado mau resultado!

ULTRA-SECRETO!


Aqui para nós, com a máxima confidencialidade, este Durão Barroso não é de confiança! Dizem que lá em Portugal, quando pertenceu ao MRPP, quis levar os móveis da Faculdade de Direito para a sede do partido. Claro que o líder não autorizou, mas que a tendência está latente isso está!!!

Direitos!...

Portugal e Brasil estão cada vez mais na moda! pátrias irmãs elas acordaram em ter direitos e deveres. Assim se faça e se acautelem os interesses de ambas as partes. Depois do acordo ortográfico há que limar arestas e corrigir excessos que sempre surgem nestes domínios.

Agora soube que o «Lèvezinho» (Liedson) quer ser português e talvez ir à selecção nacional de futebol... por que não?!

Nesta época de globalização há que ser cada vez mais cidadão do mundo, há que ter uma visão abrangente e não redutora.

Pátria, deixa lá entrar o «Lèvezinho», este sim, pode trazer mais-valias, agora aqueles mãos leves (carteiristas) que por aí andam, esses, é «exportá-los» para bem longe!...

Sarkozy responde a Ângela Merkel!






Eu sou «o galo francês»
E tenho toque de classe
Ângela Merkel, tu crês
Ser um erro que eu te abrace?!


Eu só abraço a Alemanha
Não tenho qualquer complexo
Eu sou alérgico à banha
Só protocolo... este amplexo!!!


Esse pudor doentio
Não será arianismo?!!!
Eu sou um galo sadio
Cultivo são humorismo!


Os Estados não têm sexo
Nessa matéria, neutrais!
Não haja qualquer complexo
Nem subterfúgios mentais!


Há puritanismos tolos
Até no... cumprimentar...
Se os alemães são parolos,
Está na hora de mudar!!!

O milagre da MULTIPLICAÇÃO DOS SINISTROS...

Foi numa terra postada à beira mar. O presidente, a pedido de várias entidades, resolveu acabar com semáforos num determinado local e deu azo a uma onda desenvolvimentista nunca vista: os acidentes de viação arrastaram negócios vários. Oficinas de automóveis prosperaram, os advogados começaram a ter mais clientela, os hospitais e clínicas passaram a ter clientes com mais assiduidade, os próprios restaurantes viram os seus clientes a aumentar...

Por arrastamento outras actividades prosperaram: turismo, comércio, enfim, uma vasta gama de actividades colocadas a jusante ( e a montante) do fluxo produtivo.

Tal iniciativa levou um conhecido cineasta a produzir uma longa metragem que batizou de «o milagre da multiplicação dos sinistros» que vai ser posta em exibição no próximo festival de Cannes.

quinta-feira, outubro 23, 2008

Nobel da Economia para a Madeira!!!

O Famoso Zé Sem Cheta!



O sempre atento e perspicaz Jardim , da Madeira, encomendou um estudo para saber as causas da actual crise. Uma equipa de notáveis economistas da escola neoliberal chegou a uma conclusão brilhante: há um tal Zé Sem Cheta que é o «gene» da crise actual!
Segundo esse estudo, ele (Zé Sem Cheta) não vai a eventos, não curte a noite, não frequenta as festas e romarias, não vai ao teatro, à ópera, ao casino, enfim, é uma nulidade. Ele é a causa do nosso atraso. Tem um vício: casa-trabalho!
Em França esta «doença» já há muito foi diagnosticada: «dodo, metro, boulot!»
Em Portugal, após este estudo, as portas estão abertas para a resolução da crise: matar o Zé Sem Cheta!

Um «levezinho» com peso!...

O «Lèvezinho» decide!


O Sporting venceu o Shakthar Donetz (o-1) e deu um grande passo em frente. O toque de calcanhar de Derley (o «ninja») foi perfeito e de rara beleza neste espectáculo empolgante. A campanha na Liga dos Campeões promete...
Polga, ao evitar um golo (com magistral golpe de cabeça) deu também um contributo importante para este triunfo saboroso.
Enfim, os portugueses podem respirar melhor depois do desaire sofrido pelo Porto ontem. Oxalá o Benfica consiga uma vitória (magra que seja ela) no jogo de logo à noite. Em Berlim não vai ser fácil mas há que usar a rapidez e a inteligência para dominar o Hertha que caminha em quarto lugar na liga germânica.

Em segredo de justiça!



Ele era um tipo correcto, respeitador, cumpridor dos seus deveres. Não se armava em fanfarrão, não ostentava narcisismos, não se punha em bicos de pés. Mas era o melhor classificado do curso, ali presente e tinha direito a um lugar de destaque enquanto que os restantes iriam ser colocados em lugares subalternos. Ele, o primeiro, não tinha cunhas, os outros tinham-nas e grandes. Tentaram seduzi-lo mas ele não abdicou do seu lugar.
Então começaram a «campanha suja»: que ele seria um tipo «perigoso», que era «introvertido», pouco «sociável», pouco «flexível»...
Do «introvertido» passaram rapidamente para o «invertido», para o «psicopata» e para outros items ao sabor do momento... Sem provas sem dados factuais objectivos! tudo mesquinha perseguição! O «fascismo» na plena acepção do termo!
O certo é que ele estava um pouco debilitado por causa de um problema hepático e de um princípio de úlcera duodenal. A tensão arterial também não estava no melhor dos mundos. Mas não era nada de grave.
Até que, alguém quis abrir uma «vaga» e desalojar o tal indivíduo. O expediente rodeado de um certo secretismo e cumplicidades várias foi conseguido. Sem que o visado tivesse acesso à totalidade das imputações...

Isto passou-se no tempo do «fascismo», no ante-25 de Abril. No 25 de Abril ele exigiu um inquérito aos FACTOS. Queria saber em que bases se sustentavam as imputações. Bases sólidas e objectivas.
Entretanto ele soube quem fora o principal «cérebro» da intrigalhada. Pediu para ser acareado com ele.
Entretanto arranjou um estratagema para apanhar em contradições o tal «cérebro» mórbido. Foi feito um livro em que se descrevia uma personagem fictícia que era a antítese da sua personalidade anteriormente votada ao ostracismo. Um extrovertido, um galã de meia tijela sempre de fêmeas a tiracolo, sempre descartáveis. Como alguns D. Juans que nós bem conhecemos...
Ele, continuou impávido e sereno com a sua conduta recta, irrepreensível (e cada vez mais para evitar acusações infundadas...), sem exibicionismos marialvas, sempre comedido e sem jactâncias. Enfim, sempre igual a si próprio. Nunca foi acusado por ninguém de assédios ou faltas de respeito fosse a quem fosse.

Foi insinuado que ele seria essa personagem fantasista, esse mulherengo incorrigível e inveterado, sem cura. Que seria também «perigoso», «anti-social», «abusador»...

O certo é que não conseguiu a tal acareação. O que conseguiu é que o tal livro fosse usado como libelo acusatório em várias circunstâncias. Ninguém o conhecia ao certo na sua intimidade, no seu dia-a-dia, mas afirmava categoricamente (com base no tal livro de ficção, completamente destituído de bases concretas...) que ele seria isto e mais aquilo... e muitas pessoas de responsabilidade o afirmavam também pela calada (cobarde e torpemente, pois sabiam que não havia bases concretas nas suas infundadas acusações...). Eram perseguições políticas mesquinhas, perseguições de índole profissional até...

=========================================================
=========================================================
=========================================================



Vem este intróito a propósito de um blogue anónimo que na Póvoa de Varzim bolçou acusações ao presidente da câmara. Ninguém conhece o autor e responsável pelo blogue. Conhecem-se as principais acusações.
Dizia ele que o presidente tinha uma conta de valores avultados em nome de um filho deficiente. Falava nos gerentes da instituição bancária que entretanto mudara de nome. Será que os gerentes é que deram essa informção ao dito blogueiro? Não se sabe.
Falava também numa sociedade («mardebeiriz») cujo administrador seria o próprio presidente. Falava-se num sócio que investiria e aproveitaria o facto de haver um enriquecimento rápido em perspectiva dadas as alterações ao Plano Director Municipal.

É cobardia acusar sem provas. Contudo não deixa de ser estranho o facto de o presidente não vir a público desmentir tudo. Será que nunca teve conta bancária em conjunto com o tal filho? Se teve quais os montantes? Será que os funcionários bancários invocados sabem de algo e não querem divulgar publicamente, fizeram-no apenas pela conversa de pé de orelha ao dito bloguista, induzindo-o em erro?

Será que o presidente não foi administrador da referida firma? Será que nunca tirou proveito de negócios dela? Será que nunca houve «inside trading»? Será que o facto de ser quem é (politicamente) nunca lhe trouxe benefícios de ordem financeira neste domínio específico?

Ou será que armando-se em vítima, queixando-se de perseguição malévola, e acusando o outro de calúnias, está apenas a tapar o sol com a peneira?!

Não sei de que lado está a razão. Era bom que o autor do blogue apresentasse mais dados concretos e que o presidente desmentisse cabalmente TODAS as acusações. Ainda não o fez. Por que espera?!

Todos os cidadãos bem formados e de recta intenção esperam um desmentido cabal do presidente. E com provas, também.

Até lá paira sobre ele a suspeita de se aproveitar do cargo político para fins ilícitos!
Essa é que é a verdade nua e crua!

quarta-feira, outubro 22, 2008

Galo francês, cuidado!!!

« Ma chérie ta poitrine c'est très sensitive!»
«Ta droite et ma gauche se touchant, doucement, comme il faut!»
«C'est du magnétisme! C'est l'attraction des contraires!»

«Senhor Sarkozy tenha maneiras!, ponha a mão na consciência! »

«Olhe que eu não vou por aí!, eu sou um rouxinol puro e imaculado!

Não aquele galifão que imaginam!»

O Fado da Nova Severa

A carne é fraca, sabeis,
Galo francês, galifão,
Tocar-me já não podeis
Só um... aperto de mão!
Nada de promiscuidades
Nem de abusiva postura
Toques, só o das trindades!...
Nunca... toques de cintura!
Não penseis que sou vitela
Pró vosso «bico» afiado
Galo francês toma cautela
Ou vais passar mau bocado!
Gripe das aves já foi
Um perigo mundial
Mas o medo 'inda corrói
Minha trincheira... hormonal!
Galo francês, tens o pé
Pra pôr a vil mão na bunda
De tudo o que é ralé
Mas... sou muito pudibunda!
«Não chegámos à Madeira»!
Eu não sou uma vilã
Mete a mão na algibeira
E nunca a tires de lá!...