rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

domingo, dezembro 10, 2017

ESPOSENDE: Gaivota Feliz!





O Cávado repousa em teu regaço
Moribundo, no mar entrega a alma...
Doce leito deixou, a vida calma,
Vai em paz, nessa tumba de sargaço!

Esposende, mocinha preguiçosa,
Qual gaivota feliz, filha da praia,
Sentindo o gosto a mar, até desmaia
Clímax de amor sem peias, donairosa!...

O vento bem reclama liberdade
Não quer prisões, amarras ou tutelas,
Penetra os corações destas donzelas...

Tostando ao sol na areia, na verdade
Fruindo com ternura a mocidade
Tão pura e mais brilhante que as estrelas!

sexta-feira, dezembro 08, 2017

Um tsunami vem aí?!!!

 
 
 
 
 
 
 

A minha memória ainda não deliu as saborosas crónicas assinadas pelo brilhante jornalista Artur Portela (Filho) no Jornal Novo e na revista Opção. Há figuras imorredoiras que ainda hoje rebusco nos escaninhos da memória e povoam num lugar de destaque o meu imaginário literário. Artur Portela era o meu ídolo, confesso. Atacado à esquerda pela nova nomenklatura e à direita pelos velhos senhores, ele esgrimia argumentos  carregados de ironia e de eloquência, era uma espécie de Eça de Queiroz do período revolucionário. Marcial Ribeiro Souzela e Valença de Navalho eram dois astros emergentes,  que ele fustigava com ironia, elegância, e desassombro. Lia e relia aquelas passagens e sorria. Ele e Natália Correia foram alicerces da minha formação, direi até, pilares do meu carácter.
No tocante a Valença de Navalho  ele zurzia sem clemência e ainda recordo uma descrição fabulosa que ele faz do seu primeiro contacto com o conhecido empresário dos cimentos. Digno de antologia. A revista Opção onde também colaborava Margarida Marante, era uma delícia em termos literários. Guardei anos a fio uma coleção encadernada contendo trechos memoráveis, dignos de um escritor de alto gabarito; enfim, fui na revolução um "sem-abrigo" partidário e sofri com essa postura íntegra e independente. Era um não-alinhado, um ingénuo quimicamente puro. Andei pela Avenida da Liberdade a colher assinaturas aquando do "saneamento de alguns jornalistas do DN".

Agora, passados tantos anos, ao ler uma entrevista de Manuela Moura Guedes ao "I", em que acusava Proença d e Carvalho de ser o novo "dono disto tudo" fiquei de sobreaviso. Era um sinal inequívoco do que estaria para vir. O caso com o procurador Orlando Figueira e as revelações desassombradas por ele proferidas, dizendo que o seu silêncio fora "comprado" por Proença de Carvalho deixam antever uma série de episódios eventualmente chocantes, uma longa metragem de alto gabarito, dadas as altas instâncias em que se move o referido advogado e toda a envolvência mediática que isso poderá gerar. Ele lidera a Global Media e isso diz muito.

Enfim, esta criatura que andou sempre na crista da onda, foi presidente da RTP, foi ministro, e está a administrar tantas empresas, tem do poder a noção de quem está num patamar superior, que paira acima das nuvens da mediania, que está acima do vulgo, enfim, comunga da aura dos ungidos por Júpiter. Um vero deus no nosso olimpo doméstico . O futuro dirá algo sobre o carácter deste homem. E não creio que seja bom. Pelo menos, pela aragem...
Bem sabemos que possui um exército de "generais prussianos que nunca se amotinam" e o defendem até aos limites do racional, até `a exaustão. Essa "muralha de aço" numa democracia autêntica poderia não valer de nada, mas nós bem sabemos que vivemos num regime plutocrático, e, pior, a corruptofilia é a nova praga que ataca a vinha democrática, uma espécie de filoxera implacável. Não é um regime confiável,  tal como não era o Estado Novo...

Artur Portela era muito bom a fazer diagnósticos de personalidade. Creio bem  que muito verniz irá estalar, muitas comadres dirão algumas verdades, e as arcas encoiradas, quais caixas de Pandora, abrir-se-ão perante o espanto do cidadão vulgar de Lineu.

José Manuel   F. Leite de Sá

LER E MEDITAR
VER MAIShttp://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/proenca-de-carvalho-acusado-de-negociar-perdao-para-empresa-suspeita-de-fraude-fiscal-233415
SABADO

terça-feira, dezembro 05, 2017

Mário Centeno

                                                 Mário Centeno, Presidente do eurogrupo

Conforme era expectável o Dr Mário Centeno, o tal a quem já chamaram o Cristiano Ronaldo das finanças foi eleito por unanimidade presidente do eurogrupo.

É óbvio que se trata de um lugar prestigiante, é mais um português em lugar de destaque. Oxalá na sua nova tarefa consiga gerar os consensos indispensáveis para que o dinamismo e a coesão sejam a moda corrente nesta Europa fustigada por ventos nem sempre favoráveis.
Que ninguém espere milagres para Portugal, o trabalho de consolidação orçamental terá de continuar e as reformas continuarão no nosso horizonte quotidiano.

sexta-feira, dezembro 01, 2017

Empate no classico F. C. do Porto vs Benfica

 
 
O clássico redundou num empate a zero. Cenas lamentáveis sucederam e mancharam um grande espetáculo. Ambos poderiam ter vencido mas o empate aceita-se pois ambos os contendores deram o melhor de si, Parabéns aos atletas, treinadores e ao público normal. Censura aos anormais...http://www.record.pt//multimedia/videos/detalhe/confusao-junto-do-banco-do-benfica-ate-um-adepto-portista-meteu.html

quinta-feira, novembro 30, 2017

Ratos, comida de futuro...


quarta-feira, novembro 29, 2017

O MAL DO MUNDO...



Homo  sapiens, um deus tolo e narciso,
Da Natureza vil destruidor;
Perdeu o tino, não tem mais juízo
Dá cabo do planeta, um  predador.

Destrói a economia,  e o bem estar
Suga recursos, sem medida justa;
Por Deus,  é bem capaz de assassinar
Animal tão feroz ... que a Deus assusta!

Mas diz que vive em paz co'a consciência
Tudo é mentira vil, maledicência,
Que o mundo é cruel, não vê  seu talento.

Animal predador, sem sapiência,
Imoral criatura;  só lamento,
Dos inocentes, tanto sofrimento!

J Leite de Sá

domingo, novembro 19, 2017

Escândalo nacional!

 
Uma escandaleira das antigas. Manuela Moura Guedes, sem papas na língua,  diz que José Sócrates é um "psicopata" e que devia receber tratamento psiquiátrico!

Enfim, um homem que continua a ser venerado por tanta gente, que continua a merecer as honras de telejornais, com homenagens aqui e ali, a ser tratado desta forma é intrigante. Será que a vai processar?!
Creio bem que não. É que o país inteiro já compreendeu que se está na presença de alguém com uma "coragem" tão insólita que atinge as raias da patologia. Nas páginas 23,24 e 25 do semanário "I" ela aprofunda o seu raciocínio e convence realmente do grau de patologia que enferma o visado. O seu bizarro comportamento é de um psicopata de envergadura. Bipolaridade? Pior, muito pior!
Enfim, fazer aquilo que se sabe, agora, através da comunicação social, é algo digno de meditação. Primeiro a nítida convicção de que se julgava acima de qualquer suspeita. Fazer aquilo que alegadamente fez, é de uma ousadia e de uma irresponsabilidade óbvias. Então aquilo de mandar fazer um livro para ser ele a pavonear-se como sendo o autor, é o máximo. Um cidadão endinheirado qualquer, ainda se admitiria, agora um ex-primeiro-ministro, alguém que se sabe poderia a qualquer momento ser alvo de chantagem da pessoa que fez o trabalho ou próximas...E o mandar comprar livros para ficar no topo das vendas é de uma personalidade tão megalómana, tão megalómana que entra nos domínios da patologia. Grave patologia!
Vale a pena ler e meditar. O país nunca assistiu a tais perversidades (e ingenuidades) da parte  de um ex-governante. Mesmo sabendo que poderia ser alvo de escutas (e ele usou linguagem codificada, nalgumas circunstâncias, admitindo-se isso...),  ele foi longe demais, ele foi ingénuo, a ambição desmedida e o sentimento de impunidade perpassam aos olhos de toda a gente, ele tinha consciência   de que dominando a comunicação social, tendo amigos poderosos, nada de grave lhe aconteceria. Contudo, apareceu-lhe pela frente um Juiz a sério (o Dr Carlos Alexandre) e tudo se desmoronou, tudo se volatilizou. Aquele criticismo à justiça, aquele bradar aos céus que é tudo "um embuste", "um romance" "uma encenação" é de alguém tão vil, tão baixo, tão ignóbil que deixa até os seus mais acérrimos apoiantes preocupados com a sua sanidade mental...

VER AQUI
  e AQUI

Monte e Praça, olhos de Vila do Conde



O Monte e a Praça são
Os olhos da nossa terra
Dão `a gente uma visão
Do melhor que a vida encerra.
 
Comunhão tão fraternal
Uma sã rivalidade
A dançar dão festival
São dois sóis, nesta cidade.
 
Cada qual tem sua história
Vão ao mar, com devoção;
A dançar, palpita a glória
De um fraternal coração.
 
Braços ao alto!, Maria,
Perna ligeira!, Manel,
Canta e dança, é alegria
Cada um com seu papel.
 
Há fogueiras na cidade
E no coração da gente,
Arde em fogo a mocidade
É pulmão incandescente.
 
Os ranchos são a centelha
Os vulcões de lava ardente
Gente nova, gente velha,
Monte e Praça... Luz, somente.
 
S. João dança também,
Perde a cabeça, outra vez
O luar só lhe faz bem
É luar, tão português.

ver aqui

e aqui